Total de visualizações do blog

17 junho 2018

Conheça Itaqueri da Serra, um refúgio para os amantes da natureza

Foto: Arquivo pessoal
   E aí galera, beleza? Nem só de Goiás vivem nossas matérias de viagem! 😎 Hoje vou falar pra vocês sobre Itaqueri da Serra, um vilarejo do município de Itirapina, interior de São Paulo. Um lugar onde a Andressa viveu por alguns anos, fez parte da sua infância e que inclusive no final do ano passado visitamos e passamos o Natal.
   Itaqueri é um pequeno distrito com duas ruas, alguns poucos moradores e apenas um bar como comércio, mas com muita história. Um lugar tão nostálgico que parece que o tempo parou.

Vista de cima de Itaqueri da Serra/ Foto: Zé Maria

   O lugar é conhecido por ser tranquilo, rico em belezas naturais e por preservar suas construções antigas, além de suas incontáveis histórias e lendas recordadas até hoje por seus antigos moradores.
   O vilarejo de Itaqueri da Serra se originou em 1770 como ponto de parada de exploradores que iam dos desertos de Mato Grosso á Goiás. Oficialmente foi fundado em 1781 com o nome de "Sesmaria de Itaqueri", sendo assim elevada ao status de distrito, pois antes era considerada como vilarejo.
  Foi uma das maiores aglomerações urbanas da região e já teve cinema, cartório, médico, dentista, posto policial com cadeia, lojas, bar, fábrica de cerveja, farmácia e escola, um privilégio de poucos povoados naquele tempo.

Rua de baixo do vilarejo/ Foto: Arquivo pessoal

Antigo cinema

Antigo cartório

A escola




   A escola, hoje desativada, já chegou a receber mais de 40 alunos da primeira até a quarta série e como era pequena e contava apenas com duas classes, os alunos eram dispostos em fileiras que correspondiam a cada série. Sendo assim, as quatro séries em apenas uma classe.

Capela



   A Capela Nossa Senhora da Conceição foi fundada em 1839 por colonizadores portugueses vindos da Ilha da Madeira em Portugal em devoção á Santa, inclusive a construção da capela foi fundamental para alcançar o termo legal de povoado. De lá trouxeram uma pia batismal e uma imagem de Nossa Senhora da Conceição esculpida em madeira, ambas existentes até hoje.

Interior da capela/ Foto: Arquivo pessoal

                                 Entrada da igreja                                   Vista da torre do sino/ Foto: Arquivo pessoal



Pátio da igreja / Foto: Arquivo pessoal

   Abaixo da capela há uma figueira com mais de duzentos anos que no passado se tornou um local de descanso e parada aos que vinham à cidade ou aos que estavam de passagem.

A enorme figueira com mais de 200 anos


Ulysses Guimarães


Casa onde Ulysses Guimarães viveu/ Foto: José Gazola

   Foi em Itaqueri da Serra que nasceu Ulysses Guimarães no dia 6 de outubro de 1916 e viveu até os 11 anos de idade. Já foi professor de direito e em seguida entrou na carreira política onde desempenhou um papel importante na oposição à ditadura militar de 1964 e na luta pela redemocratização do Brasil. Seu primeiro discurso político aconteceu ao pé da figueira. A estrada que conecta Itirapina á São Pedro foi nomeada como Rodovia Ulysses Guimarães em sua homenagem. A casa que pertenceu a sua família ainda está lá e pode ser visitada, inclusive hoje pertence a tia da Andressa e foi onde ficamos hospedados.


O cemitério



   Na época em que o cemitério foi construído demorou a ocorrer um falecimento e como o povoado tinha forte ligação com o município de Brotas combinaram que o próximo habitante a morrer lá seria enterrado em Itaqueri. E foi assim que aconteceu a inauguração do cemitério com o enterro de uma pessoa da cidade de Brotas. Atualmente há mais sepulturas do que o número de habitantes, incluindo uma ala só para crianças, e é nesse cemitério que estão sepultados familiares de Ulysses Guimarães.

Lendas e histórias


   É na ala das crianças que está a representação da lenda mais famosa do povoado: a da "menina do coquinho". Diz a lenda que uma menina de cerca de um ano de idade morreu engasgada com um coquinho e que em seu túmulo nasceu uma palmeira. Os habitantes acreditam que a árvore tenha germinado devido aos restos do coquinho, já que a menina foi enterrada sem que houvesse sua retirada e até hoje as pessoas visitam seu túmulo.
   Dentre as lendas há também a de uma caverna localizada atrás de uma cachoeira que seria a maior do mundo, se estendendo por debaixo do interior paulista até o sul do estado.

 Foto: Wilson Aiello

A família Feltrin


                                                                   Foto: Fran Camargo

   Em 1894 os irmãos italianos Ângelo e Luiz Feltrin abriram uma venda de secos e molhados e uma padaria em Itaqueri da Serra. Com o passar do tempo a venda prosperou, tornando-se uma loja com vários tipos de mercadorias, como açúcar, sal, querosene, bacalhau, além de roupas, ferramentas e gêneros para terra. Eles também introduziram uma máquina de beneficiamento de arroz e por muitos anos foram agentes da companhia norte americana Standard Oil Company of Brazil e forneciam aos moradores derivados de petróleo.
   Nos tempos de café Itaqueri era cheia de fazendeiros e contava com diversos comércios,  sendo o da família Feltrin o principal do vilarejo, além de ser uma referência na região.
  Os donos da casa onde funcionava a venda mantém o local preservado até hoje com as prateleiras e até mesmo um livro antigo onde anotavam as compras da família. Naquela época o pagamento era feito pela colheita, então quando havia a colheita os moradores iam até a venda e pagavam. A venda funcionou até 1990, depois de noventa e cinco anos de trabalho intenso e a casa já tem mais de 120 anos.

Turismo


   O ecoturismo vêm crescendo por causa das muitas cachoeiras e belas paisagens da região. Este ecoturismo está ligado ao turismo em expansão nas cidades e áreas adjacentes que compõem o chamado "Circuito Chapada Guarani" que inclui Itirapina, São Carlos, Brotas, Analândia, Torrinha, Santa Rita do Passa Quatro e até mesmo São Pedro.
  Para aqueles que praticam esportes de aventura, especialmente escalada, é um excelente lugar, porque no distrito existem grandes paredes de arenito ideais para a prática. Além disso há a Cachoeira de Itaqueri, formada pelas nascentes do Ribeirão Itaqueri com 15 metros de altura que é usada para Cascading e ao lado há um paredão de arenito usado para escalada esportiva. O local possui um camping chamado de Cachoeira e Camping do Saltão onde é possível encontrar hospedagem, restaurante e cachoeiras.


   Há também a Cachoeira do Saltão que é a mais conhecida com queda d'água de 75 metros de altura, que pode ser contemplada por meio de uma tirolesa de 1300 metros, por trecking, canyoning ou simplesmente descer pela escada e tomar um banho, além de outras cachoeiras. 
   A principal festa do vilarejo que é a Festa da Padroeira Nossa Senhora da Conceição, também se tornou um evento turístico, atraindo muitas pessoas da região. A festa acontece anualmente em 8 de dezembro e é feita uma quermesse com leilão (objetos, bebidas e animais em geral), onde o dinheiro é arrecadado e revertido à paróquia para melhorias na Capela Nossa Senhora da Conceição que também é um dos pontos turísticos mais visitados.

Vista do penhasco


Outro penhasco que conhecemos

No ano passado a Ford iluminou várias árvores no trecho de acesso á Itaqueri e fizeram um comercial em alusão ao Natal para os caminhoneiros. Talvez você possa até ter visto e como estávamos por lá é claro que fomos conferir pessoalmente, assim como muitas pessoas que vieram de longe para ver.



Espero que tenham gostado e até a próxima!

Se gostou da matéria deixe um comentário e compartilhe com seus amigos!

15 junho 2018

DIY Shorts customizados Copa do Mundo


   E aí pessoas, tudo bem por aí? A Copa do Mundo já começou e que tal entrar no clima com looks customizados? Domingo é o primeiro jogo do Brasil na Copa e você já escolheu seu look? Hoje vou ensinar duas idéias de shorts customizados inspirados nesse evento que são super legais e vão dar uma cara nova àqueles shorts que estão parados há um tempinho no fundo do seu guarda-roupa. Eu tenho vários aqui em casa e como tinham alguns que estavam parados, decidi customizar e mostrar pra vocês que é possível entrar em clima de Copa customizando as roupas que você tem aí na sua casa e gastando bem pouco. 
  Em uma delas vou ensinar a fazer a técnica do Tye Die de uma forma diferente 
e bem fácil que pode ser feita em vários tipos de roupas, inclusive em tênis, como ensinei no post sobre Como customizar tênis branco. Fica super legal e acho que a cor fica mais fixa do que com o corante por ser tinta pra tecido. De quebra, aproveitei também e ensinei como desfiar shorts usando estilete e uma faca de serra e mudei completamente um que eu tinha aqui em casa, que a propósito era bem sem graça e estava meio parado embaixo das roupas. 
 É possível customizar suas roupas e transformá-las em peças queridinhas gastando pouco sim e garanto que ninguém terá igual! Eu acho super legal customizar e confesso que já fiz em vááárias peças, principalmente em shorts, que antes eram calças. 
   Se você como eu adora customização, não afim de pagar caro em roupas pra Copa e tem umas peças velhas aí, então esse post é pra você.
   E aí, bora customizar?


   Se quiser ver mais idéias como estas me acompanha lá no Instagram que sempre tem DIY por lá.
  Tem alguma idéia? Mande pra mim. Quem sabe eu não faço?!
  Se gostou não esquece de curtir o vídeo e se inscreve no canal pra ficar por dentro das próximas idéias :)
 Se fizer não esquece de postar com a hashtag #dressaeuquefiz


Instagram: @dressacarolinne
Fan page aqui

Beijos❤

10 junho 2018

Cachoeira dos Dragões, uma reserva com mais de 8 cachoeiras


   E aí galera, beleza? Então, como havia dito na matéria passada de Pirenópolis, hoje vou falar sobre a Cachoeira dos Dragões, uma das mais belas entre tantas na cidade de Pirenópolis.
   A Cachoeira dos Dragões fica a aproximadamente 40 km da cidade, com cerca de 25 km de asfalto e 15 km de estrada de terra e pedras, cheia de buracos. Na estrada de terra é preciso dirigir a 20 km/h, longe de ser o melhor trajeto, mas é o único e no fim das contas vale a pena.  O trajeto também passa por pedreiras ativas e inativas e é possível ver placas de uso de explosivos, além de porteiras que passam por fazendas e você mesmo deve abrir e fechar. No caminho há também um pequeno rio e como em épocas de chuvas o rio enchia e impedia o trajeto foi construída uma ponte e agora é possível passar em qualquer época do ano.

Estrada de terra ao lado da pedreira

   A Cachoeira dos Dragões é composta por aproximadamente 50 cachoeiras, mas apenas oito são abertas ao público e ficam dentro da fazenda do Mosteiro Zen Budista Eisho-Ji. Um lugar calmo e tranquilo apesar de não termos visto os monges que estavam em retiro, mas o lugar é interessante, todo trabalhado em pedras e com dizeres espalhados pelos cômodos.

Entrada do Mosteiro

Banheiro do Mosteiro





   Ao chegar ao mosteiro você será recebido por uma moça que te explicará um pouco da história e passará as instruções sobre as cachoeiras. Como não há estrutura para comprar alimentos lá é bom levar água e algo para comer durante o trajeto que dependendo da sua animação pode durar de duas á quatro horas (não esqueça de levar sacola para guardar o lixo).

Mapa da trilha

  As cachoeiras tem um trajeto total de 4,5 km passando pelas oito cachoeiras, portanto vá com tênis e roupas apropriadas para caminhada. A trilha em geral não é tão fácil, pois há alguns pontos com subidas bem íngremes, mas ao longo do trajeto você para várias vezes para apreciar a beleza das cachoeiras.
  Há cachoeiras maiores e menores e você fica impressionado mais e mais a cada uma que vê. Em algumas não é possível entrar devido a altura, mas em várias sim e apesar da água ser bem gelada vale muito a pena, portanto não saia de lá sem antes aproveitar as cachoeiras e tirar muitas fotos.


1ª Cachoeira - Portão do Dragão





2ª Cachoeira - Dragão Azul




3ª Cachoeira - Pérola do Dragão




4ª Cachoeira - Nuvens do Dragão




5º Cachoeira - Dragão Verdadeiro




6ª Cachoeira - Dragão Voador





7ª Cachoeira - Dragão do Céu



                                                                             Vista da cachoeira

8 ª Cachoeira - Rei dos Dragões




Vista da cachoeira


Horário de funcionamento: De quarta á domingo, das 9:00 ás 17:00 hrs (Com entrada até as 15:00 hrs)

Entrada: R$45,00 por pessoa

Espero que tenham gostado e até a próxima!

Se gostou da matéria deixe um comentário e compartilhe com seus amigos!
Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo